GerbilECia no Insta

Tudo sobre como a Serragem mata roedores / PESQUISA E ESTUDOS

Por mais que esteja provado todo o mal que a serragem de Pinus ou Cedro faz aos gerbils e aos outros pequenos roedores, muita gente teimosa insiste em usar a marvalha como forração, pondo os animais em risco simplesmente por não acreditar. 

Para essas pessoas que insistem em usar serragem mesmo sabendo que estão matando os animais, eu só posso dizer: pobre do seu animal que está sendo sacrificado aos pouquinhos por um dono irresponsável.

MAS, para as pessoas que não sabem, eu vou explicar TUDO AQUI, sobre porque a serragem é proibida, o que ela faz no corpo dos gerbis e ratos e os efeitos dela nos animais. A postagem é longa, pois é COMPLETA. Aborda pesquisas e estudos feitos na Europa, com ratos, camundongos, gerbils, coelhos e galinhas.

Primeiro vou falar sobre a toxidade da madeira de pinus (no Brasil todas as serragens vendidas são de pinus) para os humanos mesmo. Tem um site super importante apenas sobre madeiras do mundo, que possui vários artigos próprios e estudos, falando claramente sobre os riscos à pessoas, o The Wood Database.

The Wood Database

 Em parceria com os estudos de madeira, existe o Billpentz que se aprofunda nas pesquisas sobre a poeira dentro do corpo das pessoas, causando alergias, câncer, aposentadoria precoce e morte de milhares de pessoas que entram em contato com ela.

Billpentz

Se faz tudo isso com um humano, faz tudo isso com o corpo de qualquer animal que inale ela. Lembrando que gerbos são mais alérgicos que outros roedores, então todos os problemas nos gerbis são potencializados.

Falando de ratos (Twister / Mercol), o site americano The Spruce falou:


Falando de gerbil, vou começar logo mostrando um texto em inglês da Sociedade Americana de Gerbils, a Sociedade Oficial, que faz as regras, as exposições, os pedigrees, não só nos EUA, mas na América inteira. É a maior organização voltada aos gerbis que existe. Eis o texto original e traduzido.


Original em inglês:
"DO NOT use Pine or Cedar Wood Shavings, ESPECIALLY if you will be breeding your gerbils (...) They can be harmful to all gerbils, but particularly pups. They've been known to cause respiratory problems and liver damage." American Gerbil Society
Tradução: 
"NÃO USE serragem de Pinus ou Cedro, especialmente se você reproduz seus gerbils (...) Elas podem ser prejudiciais para todos os gerbos, mas especialmente filhotes. Elas são conhecidos por causar problemas respiratórios e danos ao fígado." Sociedade Americana de Gerbil
Agora um texto do Rat Fan Club, site internacional sobre roedores, também em inglês e traduzido. Nesse, já é explicado melhor porque as duas madeiras são tóxicas, não apenas aos roedores, mas aos humanos também.

Original:
"There is strong scientific evidence that pine and cedar shavings are harmful to the health of rodents.  Both these softwood shavings give off aromatic hydrocarbons (phenols) and acids that are toxic.  The phenols, which give the shavings their scent, are the reason that cedar repels fleas and moths and why pine-oil is the major ingredient in Pine-sol brand disinfectant.  In the laboratory, autoclaved pine and cedar shavings have been shown to inhibit the growth of micro-organisms (Reference 1).  When animals are exposed to softwood shavings the aromatic hydrocarbons are absorbed through the respiratory tract and enter the blood." Rat Fan Clube

Traduzido:
"Há fortes evidências científicas de que a madeira de pinus e de cedro são prejudiciais para a saúde dos roedores. Ambas as serragens de madeira macia emitem hidrocarbonetos aromáticos (fenóis) e  ácidos que são tóxicos. Os fenóis, que saem do perfume dessas serragens, são o motivo pelo qual o cedro repele pulgas e traças e de que, por isso, o óleo-de-pinho é o principal ingrediente de desinfectante marca Pinho-sol. No laboratório,  serragem de pinus e cedro são usados para inibir o crescimento de micro-organismos em autoclavas (Referência 1). Quando os animais são expostos à serragem de madeira macia os hidrocarbonetos aromáticos são absorvidos através do trato respiratório e entram no sangue." Rat Fan Clube
 


ARTIGO PROFISSIONAL COMPELTO
Ponho aqui um artigo completo traduzido sobre os riscos da serragem de pinus e cedro para roedores. 

A Toxicidade de aparas de pinheiro e cedroPor Debbie Ducommun

Existem fortes evidências científicas de que as aparas de pinheiro e cedro são prejudiciais para a saúde dos roedores. Ambas as serragens de madeira macia produzem hidrocarbonetos aromáticos (fenóis) e ácidos que são tóxicos. Os fenóis, que dão às aparas o seu perfume, são a razão pela qual o cedro repele as pulgas e as mariposas e porque o óleo de pinho é o ingrediente principal do desinfetante da marca Pinho-sol. No laboratório, verificaram-se que as aparas de pinho e cedro mantidas nas autoclaves inibem o crescimento de microrganismos. Quando os animais são expostos a aparas de madeira macia, os hidrocarbonetos aromáticos são absorvidos pelo trato respiratório e entram no sangue, matando eles.Os ácidos produzidos por aparas de pinheiro e cedro são muito prejudiciais para as vias respiratórias. Esses ácidos podem realmente destruir células que alinham os pulmões e a traqueia. Isso tem implicações significativas para ratos, pois as doenças mais comuns em ratos de estimação são infecções respiratórias. Muitos proprietários de ratos de estimação relataram a melhora dos problemas respiratórios quando mudaram seus animais de estimação para uma forração diferente das aparas de pinheiro ou cedro.As toxinas de pinho e cedro também afetam os seres humanos e outros animais. As pessoas que trabalham em serrarias de cedro e pinheiro têm uma incidência muito maior de asma em comparação com trabalhadores em outros ambientes empoeirados ou aqueles sem exposição a poeira. Outro estudo descobriu que as galinhas mantidas em aparas de madeira macia apresentaram maior incidência de infecções respiratórias. Galinhas morrem muito por problemas pulmonares.As toxinas de pinho e cedro afetam mais do que o trato respiratório. Vários estudos mostraram que os roedores mantidos em lençóis de madeira macia têm níveis elevados de enzimas hepáticas. O fígado é o sistema de desintoxicação do corpo, e as enzimas hepáticas elevadas indicam que o corpo está trabalhando mais para eliminar as toxinas. Nos roedores , estas enzimas começaram a aumentar após apenas 24 horas de exposição a aparas de cedro e apenas retornaram ao normal quando os roedores estavam afastados das aparas durante 12 dias. Se as aparas de pinheiro ou de cedro forem tratadas termicamente ou embebidas em um solvente, de modo que alguns dos fenóis sejam removidos, os efeitos não são tão fortes, mas ainda ocorrem. Ou seja, continua prejudicial mesmo depois de tratada.Um estudo mostrou que a mortalidade de filhotes de roedores criados em aparas de serragem era tremendamente alta em comparação com filhotes criados em forração de milho e de cebola. Dos filhotes criados em aparas de cedro e pinus, 56% estavam mortos às 2 semanas de idade, enquanto apenas 0,01% dos filhotes criados nas outras camas morriam. Os filhotes criados com cedro também pesavam cerca de 23% menos do que os outros filhotes.A exposição a toxinas é um estresse no corpo e o estresse constante pode resultar em função imune deprimida ou alterada. Um estudo feito em 1991 descobriu que os roedores mantidos em aparas de pinho por apenas um mês tiveram uma resposta imune altamente reativa. Os roedores mantidos em aparas de pinheiro durante 8 meses desenvolveram fígados amplamente ampliados. Este mesmo estudo descobriu que os ratos alojados em aparas de pinho também tiveram uma diminuição na taxa de reprodução. Quando é dada escolha livre de forração, os ratos e os camundongos rejeitam aparas de pinho e cedro em favor de qualquer outro tipo de cama.Há também outros perigos de aparas de madeira macia. Um estudo descobriu que as pessoas na indústria da madeira que estão expostas ao pó de madeira macia têm uma maior incidência de câncer de células escamosas do trato respiratório e boca. Um estudo alemão descobriu que os trabalhadores expostos ao pó de pinheiro tinham mais do que um risco aumentado três vezes de câncer glótico.
       Reposição à Defesa do Pinho e do Cedro

Gostaria agora de abordar alguns pontos ocasionalmente criados em defesa da serragem. Foi dito que estudos realizados em roedores de laboratório e frangos de fazenda não podem ser aplicados a roedores de animais domésticos porque as condições de estudo não teriam tanta ventilação quanto em ambiente doméstico. No entanto, The House Rabbit Journal relatou que vários coelhos de estimação também apresentaram níveis elevados de enzimas hepáticas quando as aparas de madeira macia foram usadas em suas caixas de areia. Quando foi substituída por outra forração, os níveis de enzima voltaram ao normal. Dois desses coelhos tiveram doença hepática quando foram autopsiados. Muitos membros da Rabbit Society relataram mortes de seus coelhos devido a doença hepática e todos esses coelhos foram expostos a serragem de pinus. Os coelhos geralmente estão menos expostos a suas caixas de areia do que os roedores domésticos são para a forração em sua gaiola/terrário, de modo que a ventilação aumentada não significa que o fígado não seja afetado.As aparas de cedro e pinheiro são muitas vezes recomendadas porque tem as suas máscaras aromáticas agradáveis ​​que o animal cheira e repele os parasitas da pele. No entanto, existem muitas alternativas não-tóxicas que podem ajudar a combater os cheiros dos animais, que vão desde ninhadas altamente efetivas e fundas feitas de subprodutos de grãos e fibras de papel, até pulverizações especiais que eliminam odor. E a ivermectina é um tratamento muito mais eficaz e seguro para os parasitas do que expor um animal a níveis constantes de toxinas. Uma ou duas propriedades benéficas de um produto não podem compensar outras propriedades perigosas.

Artigo original em: Rat Fan Club

PESQUISA FEITA EM 1991
Tenho agora uma pesquisa completa feita em 1991, que é a melhor evidência de que a serragem de pinho não é segura como cama para animais pequenos. Este estudo descobriu que os roedores mantidos em serragem tinham fígados aumentados, respostas imunes anormais e taxas reprodutivas reduzidas. Quando os roedores receberam uma escolha de forração, eles evitam aparas de pinho sempre que possível.



~*~  SERRAGEM TRATADA É SEGURA?
Não. A serragem tratada no forno ou seca no sol fica com menos toxidade para o fígado e trato pulmonar dos animais (todos, principalmente os gerbils), mas a toxidade tópica dela, por contato, continua a mesma. Ao ser respirada, a poeira da serragem tratada não irá prejudicar tanto o fígado ou pulmão até uma insuficiência hepática ou pulmonar, mas os danos à pele continuam os mesmos. Lembrando que a pele dos gerbos é bem mais sensível à serragem de pinus que a de outros roedores. Então a serragem causa as dermatites feias nos gerbos, que frequentemente pegam infecções secundárias ou fungos pela umidade. Além disso, a serragem continua mantendo cheiro ruim de urina.
Outro ponto importante é: A SERRAGEM NO BRASIL É DIFERENTE DAS ESTRANGEIRAS. Mesmo que na embalagem da serragem esteja escrito "tratada", ela não foi tratada da forma correta para livrar o danos ao fígado e pulmão. Se mesmo assim você quiser tentar usar a serragem precisa tratá-la em casa:
Como tratar a serragem em casa: Coloque em um recipiente não muito fundo, para ter no máximo 3 dedos de altura a serragem, deixe no sol por 3 dias, protegida da chuva. Ou asse em forno alto por 40 minutos. Após esfriar, peneire e guarde em um pote vedado e protegido de ar e umidade. (Mesmo após esse tratamento a serragem continua sendo prejudicial para a pele e podendo causar as dermatites nos gerbos, use por sua conta e risco. Nem assim ela é segura.)
Sobre a serragem tratada e seus danos aos animais, o site americano The Spruce publicou:

The Spruce

O site trata especificamente de forração para ferrets e porquinhos da índia, mas o estudo sobre serragem foi abordando todos os animais pet e exóticos. Como mostra na tradução, eles dizem que ainda é preciso fazer estudos mais aprofundados quanto aos perigos da serragem tratada ou não, mas que de qualquer forma o uso dela deve ser evitado, já que existem várias outras alternativas seguras para forração.


FORRAÇÕES SEGURAS PARA GERBIL
  • Areia de gato sem perfume
  • PipiWc (cama de celulose)
  • CornCob (flocos de milho)
  • Papel higiênico 
  • Papel toalha 
  • Papelão sem tinta ou cola
  • Carefresh caseiro de papel 
  • Feno (comprado em fardos ou pacotes pequenos)
  • Caixa de ovos de papelão sem tinta
  • Casca de arroz (comprada em sacas em agropecuárias)


~*~  ALERGIA E DERMATITE NASAL
Esse é o problema mais conhecido causado pelo uso da serragem. A poeira da Madeira entra pelas vias respiratórias, indo até os pulmões e causa do uma alergia respiratória que evolui para infecção pulmonar. A pele do focinho e do corpo também pode criar dermatites, que fazem os pelos do local caírem e deixam a pele em carne viva, bem inflamada. Essas lesões causadas por dermatite tendem a crescer muito rápido, podendo dobrar de tamanho em um dia sem tratamento.


~*~  FISSURAS NOS ALVÉOLOS DO PULMÃO
A pinha em si, fruto do pinheiro, não tem os óleos essenciais que a madeira do pinus tem. Essa madeira é macia e quando ela é flocada como serragem, aumenta a superfície de contato da madeira com o ar. Quanto maior a superfície de contato madeira/ar, maior a troca de energia. Nesse momento os óleos adquirem energia suficiente para sair do estado líquido, viram uma poeira que voa com o ar.  Os vapores liberados quando estiverem dentro de um corpo de animal (temperatura alta) ganham mais energia ainda e acabam se expandindo mais, o que acaba causando diferenças de volume no pulmão do bicho. Tal diferença de volume em um pulmão de menos de um ml causam fissuras alveolares e a substância gasosa, entrando em contato com as fissuras, acabam causando mais irritação ainda que a simples fissura. Eis aí a explicação básica da reação do pinus com pequenos roedores. E além dos danos ao pulmão dos roedores, a serragem de pinus também afeta o fígado que tenta filtrar as toxinas e sofre severos danos.

~*~  PINHAS LIVRES DE TOXINAS
A pinha, fruto da árvore, diferente da madeira, é uma estrutura foliar especial para a reprodução, não tem nada de repelente, (sem os óleos essenciais do pinus) para assim favorecer a polinização entomófila, que no caso das criptógamas é secundária, mas mesmo assim importante. Além do fato de as pinhas permanecerem nas pontas dos galhos, altamente expostas ao sol por períodos de mais de um ano antes de caírem ao chão, quaisquer óleos que existissem nelas (lembrando que não devem ter nenhum, mas se tiver...) tiveram tempo suficiente e energia para evaporarem.

~*~  DESTRUINDO CÉLULAS PULMONARES
Os ácidos emitidos pela serragem de pinus e cedro são muito prejudiciais para o trato respiratório. Estes ácidos podem realmente destruir células que revestem os pulmões e traqueia. Isto tem implicações significativas para ratos e gerbils, uma vez que as doenças mais comuns em roedores de estimação são infecções respiratórias. Muitos proprietários de twister e gerbil tem relatado a melhoria dos problemas respiratórios quando eles trocaram seus animais para uma forração diferente da serragem.

~*~  TÓXICA ATÉ PARA OS HUMANOS E AVES
Pinho e de cedro toxinas também afetam os seres humanos e outros animais. Pessoas que trabalham com poeira de cedro ou pinho têm uma incidência muito maior de asma em comparação a os trabalhadores, em outros ambientes empoeirados, ou aqueles sem qualquer exposição à poeira. Ou seja, o problema para agravar a asma não é a poeira, é a poeira de madeira de pinus ou cedro. Outro estudo descobriu que os frangos mantidos em serragem de madeira macia, como o pinus e o cedro, tiveram uma maior incidência de infecções respiratórias.
Há também outros perigos da serragem de madeira macia. Um estudo descobriu que as pessoas na madereira, que estão expostas à poeira de fibra longa, tem uma maior incidência de câncer de células escamosas do trato respiratório (câncer de pulmão). E um estudo alemão descobriu que trabalhadores expostos ao pinho tinham mais de três vezes mais risco de câncer da glote.

~*~  PROBLEMAS NO FÍGADO
Vários estudos têm demonstrado que os roedores mantidos em serragem de madeira macia têm níveis elevados de enzimas do fígado. O fígado é o sistema de desintoxicação do corpo, e enzimas hepáticas elevadas indicam que o corpo está a funcionar mais forte para eliminar as toxinas. Em camundongos estas enzimas começaram a subir depois de apenas 24 horas de exposição à serragem e só voltou ao normal quando os ratos estavam longe serragem por 12 dias! Entendeu? Bastaram 24h na serragem para eles sofrerem os danos e apenas 12 dias longe da serragem eles voltaram ao nomal. Após 8 meses vivendo em serragem, ratos apresentaram o fígado muito aumentado, quase dobrando de tamanho.

~*~  MORTE DE FILHOTES
Um estudo mostrou que a mortalidade de filhotes de roedores criados em serragem de cedro ou pinus foi tremendamente elevada em comparação a filhotes de roedores criados em forração de casca de milho ou areia de gato. Dos filhotes criados em serragem de cedro, 56% morreram com 2 semanas de idade, enquanto apenas 0,01% dos filhotes criados em outras forrações morreram. Os filhotes que nasceram na serragem também foram ninhadas 23% menos que as ninhadas nascidas em outras forrações. Os adultos que vivem em serragem apresentam diminuição de fertilidade, podendo nunca chegar a ter filhotes.

~*~  PROBLEMAS PARA COELHOS E OUTROS LAGOMORFOS
O Jornal Casa Coelho relatou que vários coelhos de estimação também mostraram elevação das enzimas hepáticas quando a serragem foi usada ​​em suas caixas de ninho. Quando foi substituída por outra forração, os níveis de enzimas voltaram ao normal. Dois destes coelhos tinham doença hepática quando foram autopsiados, após morrerem "misteriosamente". Muitos membros da Casa Coelho  relataram mortes de seus coelhos devido à doença hepática e todos esses coelhos tinham sido expostos à serragem de pinus. Os coelhos tem menos contato com a forração da cama que os gerbils e ratos, então isso prova que mesmo estando em um lugar mais ventilado e com menor contato com a serragem, o fígado não escapa dos danos.

~*~  RELATOS DE ANIMAIS MORRENDO
Várias pessoas têm reclamado que os seus roedores que sempre foram mantidos no pinho ou cedro, não tiveram efeitos adversos. No entanto, os animais com enzimas hepáticas elevadas não apresentam quaisquer sintomas! E, a menos que esses animais recebessem autópsias completas no momento da morte, sem nenhum sinal de fígados aumentados ou disfunção hepática, infecção respiratória, ou o sistema imunológico alterado, como se pode afirmar que serragem não foi a causa da morte? Em resumo, o ÚNICO MODO de saber que o gerbil ou rato não morreu por causa da serragem em que vivia, é se ele for aberto para uma autópsia completa logo após morrer, para verificar o tamanho do fígado e pulmão.

~*~  SOBRE SERRAGEM DE MADEIRA TRATADA
Agora existem as serragem que são tratados termicamente e ditas como atóxicas, seguras, porque o calor tira as toxinas. Atualmente esses produtos estão sendo vendidos, chamados de All-pet pinho, Feline Pine, e Pine frescos, que afirmam ser livre de toxinas. No entanto, os estudos em referências descobriram que o tratamento térmico NÃO REMOVE todas as toxinas da serragem. A serragem tratada com calor ainda causou uma elevação das enzimas do fígado em ratos, camundongos e gerbils.

~*~  DEFESA DOS FABRICANTES DE SERRAGEM
A serragem é muitas vezes defendida com a alegação de que os clientes não são obrigados a comprá-las, compram serragem porque querem. No entanto, a maioria dos proprietários de roedores não estão cientes das toxinas da serragem de pinus. As pessoas compram a serragem, achando que são produtos atóxicos, que não oferecem risco aos roedores, e fabricados unicamente para esse fim. Assim, por serem de material tóxico e altamente prejudiciais, cabe inclusive ação judicial contra os fabricantes de serragem de pinus. Nem os laboratórios estão usando serragem hoje em dia, justamente porque as toxinas dela alteram o resultado das pesquisas realizadas nos ratos.
Quando laboratórios ou faculdades usam serragem nas cobaias, a serragem utilizada é especial! Não é a mesma que se compra em petshops. É uma serragem especial vendida em grande escala para ambientes de criação profissional. Por tanto, muitas vezes a serragem foi tratada da forma correta ou é de uma madeira diferente de pinus, sendo então adequada.


~.~ RESUMO DOS PROBLEMAS ~.~
Alergia Respiratória 
Dermatite nasal
Infecção pulmonar
Morte de células pulmonares
Aumento do pulmão 
Insuficiência pulmonar
Insuficiência hepática
Aumento do fígado
Ninhadas menores
Infertilidade
Morte de adultos e filhotes

SEJA RESPONSÁVEL. É VOCÊ QUE DECIDE SE QUER OU NÃO UTILIZAR A SERRAGEM COM SEUS ANIMAIS. FAÇA ISSO COM CONSCIÊNCIA DOS MALES QUE ESTÁ EXPONDO ELES. EXISTEM MUITAS OUTRAS OPÇÕES DE FORRAÇÃO PARA QUEM QUER O BEM DOS GERBOS.

Texto: Vivian Roncon e Vinícius Albuquerque
Fontes sobre o mal que o Pinus e o Cedro fazem:
American Gerbil Society
Rat Fan Club
The Spruce
Wood Database
Billpentz